O empreendedorismo e o trabalho informal representa hoje grande parte da economia do Brasil. Muitos trabalhadores iniciam seus serviços ou venda de produtos sem muita pretensão, em busca da autonomia profissional e independência financeira, seja complementando a renda que já possui ou ainda como principal fonte financeira. O trabalho informal, apesar de muito comum, pode trazer diversos prejuízos ou profissional, impedindo que ele amplie seu empreendimento e seu faturamento.

Sabemos que quando pensamos em ser uma Pessoa Jurídica, logo vem a mente a palavra burocracia, além da alta carga tributária que temos em nosso país, principalmente porque a criação de um CNPJ envolve diversos trâmites diretamente ligado ao governo e à Receita Federal. Entretanto, é preciso desmitificar a ideia de que formalizar o empreendimento é sinônimo de prejuízos e mais trabalho. Muito pelo contrário, a abertura de um CNPJ pode alavancar o seu negócio, proporcionando mais segurança ao empreendedor, e oferecendo a possibilidade de ampliar seus serviços e vendas, além, é claro, da tranquilidade de estar trabalhando dentro da legalidade.

Mas porque eu devo me tornar uma Pessoa Jurídica?

Viver na ilegalidade é perigoso e as consequências de ser pego são desmotivadoras, ocasionando sempre prejuízo maior do que o necessário para manter o negócio funcionando de acordo com a lei.

O empreendedor ético sabe que o caminho da ilegalidade não é uma opção, pois manter a empresa legalizada é essencial para o sucesso de qualquer atividade.

Todo tipo e tamanho de negócio pode, e deve, ter um CNPJ, desde microempreendedores individuais, até empresas grandes. O que irá diferenciar a classificação que determina os direitos e as obrigações tributárias de cada uma delas é o regime fiscal em que a empresa será inserido, e isso deve ser feito com muita atenção e conhecimento, o que torna essencial a consultoria e auxílio de um serviço de contabilidade competente e capacitado.

É verdade que o CNPJ irá trazer outros tipos de obrigações fiscais e financeiras para um empreendimento, mas ele é a passagem para a entrada na legalidade da atividade, e traz uma série de vantagens para o empreendedor, das quais podemos listar algumas. Veja:

 – Acesso a linhas de crédito para empreendedores: Várias instituições financeiras oferecem linhas de crédito especiais para pequenas e médias empresas devidamente legalizadas, com taxas e juros diferenciados.

Possibilidade de participar de licitações: O Poder Público pode ser considerado um dos maiores compradores do mercado — tanto de materiais quanto de serviços. Todo o processo de compra, desde a cotação até a finalização do negócio, é feita por meio de licitações, o que só é possível participar se a empresa for regularizada.

– Ser segurado do INSS: O CNPJ, através dos pagamentos de tributos, passa a ser segurado pelo INSS, realizando a contribuição como MEI ou contribuinte individual.

– Abrir uma conta jurídica: A conta PJ oferece uma série de vantagens e fica mais fácil separar o orçamento pessoal do orçamento do negócio, facilitando não apenas a gestão financeira como também as declarações do Imposto de Renda.

Essas são apenas algumas das vantagens em formalizar o seu negócio. Portanto nossa orientação é que você não perca tempo e abra o seu CNPJ. A RSIM Contabilidade e Finanças pode ajudar você a agilizar o processo de abertura das empresas e a emissão de toda documentação.

Assim, você usa seu tempo para outras tarefas igualmente importantes e evita se estressar com a grande burocracia.

Clique aqui para falar com um especialista.

Imagem:

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.